Uns deslocados

Trabalhei por quase dois anos em uma escola pública da periferia da cidade em que vivo. Algumas das melhores histórias que já contei saíram daquelas paredes, daqueles alunos, das pessoas com quem convivi diariamente. Hoje, enquanto lia Vidas Secas, lembrei de uma família cujo filho mais velho estudou lá. Lembro muito pouco deles. Um silêncio…

Eu sei que o Hemingway dizia que a gente não deve escrever tudo de uma vez, se quiser escrever bem. Sei, também, que o Hemingway não trabalhou com produção de conteúdo. Ele abominaria esse ofício. Quase tanto quanto eu. Um dos bônus de se trabalhar com a escrita é poder dizer que fiz um bom…

Filho de cavalo pônei é

Há uma diferença básica entre imaginação e memória: o fato de que, na segunda, há o real como componente, além, é claro, do tempo passado, enquanto a primeira é fruto de um processo criativo racional. Por algum motivo, algumas lembranças nos afetam mais do que outras e permanecem por mais tempo conosco, ainda que venham a…

Não se livra de nada

Estamos sempre retirando as coisas de um lugar, passando para outro para depois devolvermos no de origem. E isso faz os dias cada vez mais desgastantes. Esse movimento de ir às compras, de retirar objetos das prateleiras, colocá-los no balcão até que a conta seja paga e levá-los para casa, onde temos de encontrar um…

À margem

Vi o Inside Llewyn Davis, filme dirigido pelos irmãos Coen, umas três vezes (a última essa semana) e sempre fico surpresa com a atmosfera do filme e com o tempo. Uma lentidão em que acontecem poucos fatos relevantes e, ao mesmo tempo, a impressão de que muita coisa acontece em poucos dias. Coisa de personagem…

Nem tudo o que reluz é ouro

Quando soube que um jornalista tinha sido demitido por causa de uma entrevista e, principalmente, de sua repercussão negativa depois do modo como o entrevistado encarou a matéria publicada, não pude deixar de reparar na palavra “militância” empregada no sentido de desqualificar o tal jornalista. A palavra foi usada em referência a alguns posts que…

Nada a oferecer

Deu na Folha de São Paulo que jovens conhecidos como youtubers estão apostando em escrever ficção para continuar oferecendo, de certa forma, conteúdo para seus seguidores e para atrair outros públicos. “Que tanta história de suas vidas meninos e meninas ainda em flor teriam para contar?”, diz a matéria, pondo em evidência, não sem alguma…

Duas notas sobre nudez

#1 É curioso como essas ideias pretensamente moralistas invadem a discussão pública como rastilho de pólvora. Os museus estão expondo obras com pessoas nuas e em franco bacanal há anos e até ontem ninguém ligava para isso. Quem frequenta museus, peças de teatro, lê livros, enfim, vive, lida com a nudez, seja ela sexualizada ou…

Confrontos não foram feitos para serem evitados

Entendo muito bem as pessoas que não querem ou não conseguem ter empatia. É muito mais fácil viver ensimesmado, preocupado apenas consigo (ou com quem você gosta) e completamente alheio ao que pode estar desgraçando a cabeça do outro. Quando você tem empatia, percebe muito rapidamente a irritação das pessoas e aprende a ler o…

A cidade natal (que nem é assim tão invisível)

Um pouco influenciada pelo Calvino passei alguns dias me lembrando da cidade em que nasci. Falo pouco sobre ela, mas é porque é como falar sobre algo que já não existe. A cidade tem cheiro de infância, mas também tem as marcas daquele momento – cuja data não marcamos – em que aprendemos a esquecer….